Mensagens

O desafio de ser feliz

17 de Setembro 2010

O desafio de ser feliz

Antes de ir ao altar, analise se realmente se vai casar com a pessoa certa…

O namoro é o momento ideal para conhecer um pouco mais da pessoa em quem se está interessado. É a altura dada por Deus para o estabelecimento de uma grande amizade. O namoro é o “teste de fogo”; nesse período é possível realizar uma análise real do que iré acontecer num futuro casamento. Uma família é constituída por um homem e uma mulher, que deixaram a casa dos seus pais, e que passaram a coabitar maritalmente através do casamento. A partir desse momento, então, começa o desafio de ser feliz.

Por maior preparação que possa existir de ambas as partes, o casal só descobrirá realmente quem é a outra pessoa depois da convivência. O solteiro imagina que o estar junto da pessoa amada é o suficiente para ser feliz. Após a festa e a lua-de-mel, quando o clima das comemorações já cessou, as descobertas começam. O casal começa a dar-se conta de que para serem felizes após o casamento há muitos outros factores que influenciam. Estar ao lado da pessoa amada não é suficiente. Dentro do casamento, para que haja verdadeira felicidade, muitas coisas devem ser cuidadosamente analisadas, entre elas: a Palavra de Deus, o dinheiro e o diálogo, tudo isto é o básico.

Antes do “Sim, eu quero”, é necessário analisar alguns pontos que podem até parecer desnecessários, mas que terão um grande peso no estabelecimento de uma família forte e consistente.

Pergunte-se a si mesmo e conheça detalhadamente a pessoa com quem vai viver o resto de sua vida.

Você será capaz de viver ao lado dessa pessoa?

Agrada-lhe física e espiritualmente?

Você será capaz de fazer a pessoa feliz em todos os aspectos? Física e espiritualmente?

Quer casar-se apenas para se ver livre dos seus pais ou se ver livre de qualquer situação desagradável que possa estar a viver?

Já entrou em acordo sobre o número de crianças que quer ter, se a sua esposa pode estudar, trabalhar, etc.?

Já calculou os danos e os benefícios que este casamento pode trazer ao seu ministério?

Tem condições de se manter sem a ajuda dos seus pais?

Viveria longe dos seus pais, mesmo que a pessoa com quem você se casar não seja o que você esperava?

Ambos têm a mesma fé?

Ama mais a essa pessoa do que ao seu(sua) último(a) companheiro(a)?

Se aquela pessoa que um dia lhe disse “não” vier a mudar de ideias mudaría alguma coisa na sua vida?

Gosta da profissão da pessoa com quem vai casar?

Tem alguma dúvida quanto ao carácter ou à conversão da pessoa com quem se vai casar?

Alguma vez pediu a essa pessoa exames, como prova de HIV, doenças sexualmente transmissíveis e infertilidade?

Já se certificou de que essa pessoa está legalmente livre para casar consigo? Já questionou se essa pessoa após a sua conversão caiu em pecado no aspecto da fornicação?

Observou se durante o namoro houve muitos ciúmes?

Dependendo das respostas que tenha obtido, decida se o seu casamento deve ser realizado, adiado ou mesmo cancelado. Se os casais analisassem estas questões cuidadosamente antes do casamento, certamente o diabo teria menor oportunidade de destruir lares. “A estulticia do homem perverte o seu camino, mas é contra o SENHOR, que o seu coração se ira” (Provérbios 19.3). Depois da união consumada, virão muitos outros desafios. Problemas potenciais que não surgiram durante o namoro poderão aparecer; para quem acredita, no entanto, sempre haverá possibilidade de reverter qualquer situação.

Fique ciente de que não há casamentos problemáticos, existem sim pessoas que se casam com problemas. A vontade de Deus é de que o casamento seja uma bênção. No livro de Mateus 18.19-20, encontramos a seguinte declaração: “Em verdade também vos digo que, se dois dentre vós, sobre a terra, concordarem a respeito de qualquer cousa que, porventura, pedirem, ser-lhes-á concedida por meu pai, que está nos céus. Porque, onde estiverem dois ou três reunidos em meu nome, ali estou no meio deles.”

E a maior das bênçãos de Deus para os casados encontra-se registada no livro de 1Coríntios 7, cuando diz que a mulher santifica o marido incrédulo e vice-versa (versículo 14).

O seu servo em Cristo, Bp. Júlio Freitas


12 comments
  1. VÂNIA FJ ALMADA

    Antes da pessoa tomar a decisão de se querer casar, tem que analisar, o tempo de namoro serve para se conhecerem! Depois do casamento tudo será diferente aí sim iremos conhecer bem o parceiro(a) , temos que ter a certeza que é com aquela pessoa que queremos passar o resto da nossa vida, temos que ver se os dois gostam da profissão um do outro e se as condições financeiras que têm, não dependam dos pais.

  2. Laticia Heusley

    I actually arrived here seeing as this web page was tweeted by a gentleman I was following and am very I made it here.

  3. Thanks for such great information. Mind if I make a post about it on my blog?

  4. Hello.This article was extremely motivating, especially because I was searching for thoughts on this matter last Sunday.

  5. Extremely good write-up and really aids with comprehending the article much better.

  6. piece of writing gives the reality of the situation. Much appreciation, at least from me for the great, It is nice to see opinions that tell more of the story, they are more effective in nature.

  7. Hi i am so pleased I found your blog, I really found you by mistake, while I was searching Yahoo for something else, At Any Rate I am here now and would just like to say thank you for a wonderful blog posting and a all round intriguing blog (I also love the theme/design), I do not have time to read it all at the right now but I have bookmarked it and also added your RSS feeds.

  8. Esposa aflita

    Ah bispo, se eu tivesse sabido disso tudo antes de ter me casado, não me sentiria tão infeliz como me sinto. Amo meu marido, mas sou obrigada a viver uma situação que me faz uma pessoa muito infeliz. Ele me proibiu de trabalhar fora depois que nos casamos, e trabalho junto com ele em sua micro-empresa sem receber nenhum centavo... Não posso sair para lugar nenhum, apenas se ele quiser sair, não posso congregar em igreja alguma, porque em toda congregação que ingressamos, ele consegue uma confusão por causa do seu orgulho que é demais. Ele me impede de sair sozinha e por isso estou sem congregar. Me sinto uma mulher humilhada e anulada. E ainda para piorar, moramos nos fundos da casa dos seus pais, e minha sogra sei que não gosta de mim, pois constantemente ouço seus comentários a meu respeito. Ela não era favorável ao nosso casamento, e acredito que por ciúmes me critica, mesmo eu dando bom testemunho de mulher de Deus e nunca me intrometendo em assunto algum, ela sempre encontra algum defeito para apontar. Agora percebo que ele jamais foi um homem convertido. Quero muito que Deus mude a minha vida, porque me sinto de pés e mãos atados com esta situação. Meus pais que moram em outro estado às vezes me mandam dinheiro para que eu possa comprar o que eu preciso, porque se não fosse desse modo, jamais poderia comprar nada. É como se eu rabalhasse para o meu marido por casa e comida. Já falei para ele como me sinto, e ele já me disse algumas vezes: "se não está satisfeita, volte para a casa da sua mãe!" Desse modo, percebo que para ele é mais fácil se livrar de mim e das minhas queixas, que fazer alguma coisa que mude nossa vida. Que Deus continue o abençoando bispo, e à sua família. Desculpe utilizar este espaço de comentários para desabafar. Fique na paz.

  9. Jéssica

    Nossa Bispo muito bacana a mensagem ! Se todos fizessem essas perguntas antes de tomar a decisão de se casar, aposto que muitos casamentos destruídos seriam evitados .

Deixe um comentário

Responder a Laticia Heusley Cancelar resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.