Mensagens

O plano perfeito

1 de Outubro 2010

O plano perfeito

Existe uma guerra contínua em curso no interior de cada filho de Deus, o Apóstolo Paulo adverte-nos para o permanente conflito que existe entre o homem interior e homem exterior; entre o objectivo da mente e os desejos do coração (Romanos 7.15-25).

Na batalha que se trava entre os desejos da carne e do espírito, quase sempre vence a carne. O Senhor Jesus alertou-nos sobre esse potencial negativo que tem carne (Mateus 26.41) e, ao mesmo tempo, afirmou que a única maneira de sermos capazes de superar esta deficiência seria através do baptismo nas águas. Só o baptismo, depois do arrependimento sincero, é capaz de sepultar a natureza corrompida do homem exterior e de ajudá-lo a manter-se firme na presença de Deus; no entanto, mesmo depois do baptismo, ele deve manter a armadura de Deus para defender o homem interior.

O grande problema de hoje é que as pessoas procuram baptizar-se nas águas apenas para cumprir o mandamento bíblico; por esse motivo, por uma questão de consciência e não por um arrependimento sincero baptizam-se. A qualidade da fé cristã, no entanto, depende do baptismo em água, e a maioria dos novos convertidos nem se apercebem da sua importância para o Plano de Salvação Divino. Para um perfeito entendimento desta questão, lembre-se que os filhos de Israel tiveram que ser baptizados quando atravessaram o Mar Vermelho. Quarenta anos mais tarde, as crianças da geração rebelde também foram baptizadas quando atravessaram o Rio Jordão, antes que entrassem na Terra Prometida. De acordo com a Palavra de Deus, o baptismo nas águas não seria necessário se a conversão fosse acompanhada da morte física, temos como exemplo o ladrão resgatado da morte na Cruz. Ele não precisava do baptismo porque a sua morte era iminente. O baptismo nas águas capacita os convertidos para o pleno exercício da fé, enquanto estão neste mundo, e dá-lhes forças para neutralizar as paixões da carne, tornando possível manter uma vida em espírito.

Quando nos referimos à carne não pensamos só no corpo físico ou na sexualidade humana, mas nos desejos ilícitos do homem e tudo o que se reporta aos instintos desta natureza perversa, tais como: concupiscência dos olhos, desejos malignos do coração, ciúme, orgulho, vaidade excessiva, gula, ambição desmedida, luxúria; finalmente, tudo o que puder prejudicar os princípios cristãos ao seu semelhante ou a si mesmo. Se você está a passar por um problema espiritual, lembre-se de que Deus nunca permitirá que sejamos tentados acima da nossa capacidade de resistir e também de que Ele sempre nos dará as condições para que possamos vencer o mundo (1 Coríntios 10.13).

O seu servo em Cristo, Bp. Júlio Freitas

Anterior

Pensamento

Seguinte

Meu Hobby


2 comments
  1. FILIPA_Estoril

    Boa palavra ! Sr Bispo, receba um abraço do Força Jovem do Estoril.

  2. Aurio Quaresma

    E verdade Sr Bispo por vezes achamos que o simples facto de olhar e crer que nao foi com malicia e NORMAL. o problema e que passa a ser habito e como se ja estivessemos preparados, mas ao mesmo tempos nos acomodassemos. digo isto porque sei que nao sou perfeito mas ja tive provas de que existindo um força de vontade acompanhada de um sincero temor ao PAI CELESTIAL a nossa vitoria e certa. No que toca ao baptismo tambem concordo no que foi citado,uma vez que as pessoas realmente nos dias de hoje encaram um baptismo como se dum ritual se tratasse. Pensando que ja fizeram a sua parte e que de agora em diante é ''fé em Jesus e avançar porque o caminho e pra a frente'' mas esta errado pois e importante nao nos limitarmos dia-a-dia, pois as batalhas sao grandes e a guerra nao tem data marcada para terminar. O amanha esta nas maos de Deus, e porque nao dar o melhor de mim Hoje pensando no meu amanha? Cumprimentos

Deixe um comentário

Responder a Aurio Quaresma Cancelar resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.